Estadão e Época querem calar Dilma

Altamiro Borges: “A Secom insiste em alimentar cobras, repassando milhões em publicidade para jornais, revistas e emissoras de oposição”.

por Altamiro Borges, em seu blog

via Viomundo

Bem que a presidenta Dilma Rousseff tentou estabelecer um “namorico” com a imprensa direitista. Participou de solenidades e comilanças com os barões da mídia e engavetou o projeto do governo Lula de regulação democrática deste setor monopolizado e manipulador. A sua postura “republicana”, “civilizada”, não serviu para nada.

Jornalões, revistonas e emissoras de rádio e televisão estão cada vez mais assanhados contra o atual governo. Neste final de semana, a revista Época, da famiglia Marinho, e o jornal Estadão, da decadente famiglia Mesquita, chegaram a sugerir que a presidenta fique calada!

Em editorial intitulado “Menos palavrório, Dilma”, a publicação semanal das Organizações Globo afirmou que a “presidente se comporta como se soubesse tudo. Na questão dos juros, ela deveria conter seus arroubos voluntaristas. Toda vez que ela fala sobre o assunto, mina a credibilidade do Banco Central em seu papel de condutor das expectativas de inflação”.

Para a revista Época, que não foi eleita por nenhum brasileiro, a presidente eleita Dilma Rousseff deveria ficar quieta, sem opinar sobre a política monetária e outras questões decisivas para o desenvolvimento do país. É muita petulância da famiglia Marinho, que apoiou o golpe de 1964 e construiu o seu império midiático nas sombras da ditadura militar.

Com a mesma agressividade, o Estadão publicou neste domingo o editorial intitulado “Dilmês castiço”. O texto chega a questionar a inteligência da presidenta. “Já se tornou proverbial a dificuldade que a presidente Dilma Rousseff tem de concatenar ideias, vírgulas e concordâncias quando discursa de improviso. No entanto, diante da paralisia do Brasil e da desastrada condução da política econômica, o que antes causaria somente riso e seria perdoável agora começa a preocupar. O despreparo da presidente da República, que se manifesta com frases estabanadas e raciocínio tortuoso, indica tempos muito difíceis pela frente, pois é principalmente dela que se esperam a inteligência e a habilidade para enfrentar o atual momento do País”.

É certo que a revista Época tem poucos leitores e que o “despreparo” da famiglia Mesquita está levando à falência o Estadão, com a demissão na semana passada de 20% da redação do decrépito jornalão. Mas não dá para aceitar passivamente as agressividades destes veículos golpistas. Infelizmente, o governo da presidenta Dilma não toma nenhuma atitude. A TV Brasil não é exibida no canal aberto em São Paulo – como se a BBC de Londres não fosse transmitida em Londres –; o governo não se comunica com a sociedade; e a Secom insiste em alimentar cobras, repassando milhões em publicidade para jornais, revistas e emissoras de oposição. Com tamanho “republicanismo”, as famiglias Marinho e Mesquita nem vacilam em sugerir que a presidenta da República fique quieta!

Anúncios

Sobre Antonio S. Silva
Jornalista, mestre pela PUC/SP, doutor pela UnB e professor da (UFMT). Importante o diálogo para construir um país melhor.

Deixe o seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: