Confiança na mídia impressa

Carta Capital

Anúncios

Supremo da Argentina obriga Clarín a se desfazer de licenças de TV e rádio para se manter

Folha de S. Paulo

Tribunal declarou constitucional Lei de Mídia na Argentina. Meios de porte menor operam sem problemas, afirma sentença; Clarín promete recorrer a cortes internacionais

 

 

 

 

LÍGIA MESQUITA

A sentença do Supremo argentino que declarou constitucional a Lei de Mídia do país, encerrando a batalha de quatro anos entre Clarín e governo, rechaça um dos principais argumentos do grupo: o de que ele não conseguiria se sustentar financeiramente.

E sugere medidas para que o conglomerado consiga se manter ao ser obrigado a se desfazer de algumas de suas várias licenças de rádio e TV: cortar pessoal e elevar tarifas.

Na sentença, a corte diz que a realidade na Argentina mostra que muitos meios de pequeno e médio porte operam sem inconvenientes.

“Caberia [ao Clarín] se perguntar como é possível que outros grupos que não excedem esse limite de licenças resultem economicamente sustentáveis”, diz o texto.

Pela Lei de Mídia, o Clarín não poderá ter emissoras de TV e rádio ao mesmo tempo que é provedor de TV a cabo e internet. Uma das maiores fontes de faturamento do grupo é a Cablevisión, que oferece os dois últimos serviços.

Se optar por continuar com a empresa, o Clarín terá que reduzir sua cobertura de 59% para 35% da população argentina. E, nas cidades de Buenos Aires e Córdoba, por exemplo, abrir mão dos canais abertos de TV 13 e 12.

O Clarín ainda não informou seu plano de desinvestimento e disse que recorrerá nos tribunais internacionais.

Segundo advogados, o grupo poderá repartir as empresas entre os quatro sócios majoritários ou os controladores poderão passar a herdeiros as suas principais licenças.

O Clarín na Argentina é proporcionalmente maior que as Organizações Globo no Brasil, na comparação com os PIBs dos respectivos países.

O produto notícia

Nós também temos interesses que podem não ser encontrado no sistema que se impõe, seguido pelos veículos que vende publicidade e difundem ideias. O seu produto no mercado é a notícia

 

A mídia é indispensável no nosso dia a dia, a tal ponto de não viver sem informações, importante tanto quanto o alimento que ingerimos cotidianamente para nos mantermos com saúde física. Entretanto, é importante observar como estes produtos são acessados e observar a origem.

Os meios de comunicação de massa, como qualquer empresa de mercado, visa plenamente obter resultados. Se no mercado, o lucro; se na política defender os seus interesses estruturais, que no futuro resulta em ganhos financeiros. No final, a meta é o dinheiro, mas para tanto precisa de consumidor, que somos nós, leitores.

LEIA MAIS

Profissionais do ‘JT’ entram em estado de greve

Folha de S. Paulo

Funcionários do “Jornal da Tarde”, do Grupo Estado, decretaram ontem estado de greve -alerta para uma possível paralisação.
A decisão foi motivada pela falta de resposta da empresa sobre rumores que circularam nas últimas semanas sobre o fechamento do jornal no dia 2 de novembro.
A reportagem não conseguiu contato com o presidente do Sindicato dos Jornalistas, José Augusto Camargo, nem com representantes do Grupo Estado.
A expectativa é que o estado de greve facilite a realização de uma audiência na Justiça do Trabalho.

Jornal “New York Times” planeja lançar edição digital em português

Folha de S. Paulo

O “The New York Times” planeja o lançamento de uma operação digital no Brasil, afirmou o site do jornal “Meio & Mensagem”. Procurado, o “NYT” não confirmou, mas disse que a “expansão internacional do jornal está sendo avaliada”.

Se confirmada, esta será a segunda operação do tradicional diário americano fora dos EUA. Em junho, foi lançado um site em mandarim. “Como parte de nossa estratégia global, estamos avaliando a expansão do ‘The Times’ em todo o mundo e consideramos o lançamento de sites em outras línguas. Mas, além do site lançado na China, não temos nada específico para anunciar no momento”, informou o diário americano, por meio de sua assessoria.

O diretor-executivo do “NYT”, Arthur Sulzberger Jr., virá ao Brasil participar da 68ª Assembleia Geral da Sociedade Interamericana de Imprensa, de 12 a 16 de outubro. Também está prevista a presença do presidente do jornal espanhol “El País”, Juan Luis Cebrián.

%d blogueiros gostam disto: