PSOL pede que SBT e âncora respondam por apologia ao crime

Folha de S. Paulo

SBTA bancada do PSOL no Congresso protocolou ontem, na Procuradoria-Geral da República, uma representação contra a apresentadora do SBT, Rachel Sheherazade, e a emissora para que respondam civil e criminalmente por apologia ao crime.

Na semana passada, a apresentadora do “SBT Brasil” defendeu, durante o telejornal, o grupo de pessoas que deteve um jovem por suposto assalto e o deixou preso pelado a um poste, no Rio.

Para o PSOL, a jornalista legitimou e estimulou os grupos que têm se mobilizado para encontrar e agredir supostos bandidos. “A incitação ao crime existe quando ela encoraja, publicamente, a sociedade em reproduzir esse tipo de comportamento”, diz a representação.

Procurados, o SBT e a âncora não comentaram o caso. Em artigo publicado ontem na Folha, Sheherazade afirmou que “no Brasil às avessas, o bandido é sempre vítima da sociedade”.

SBT demite três comentaristas de seus telejornais

Folha de S. Paulo

,Os jornalistas e comentaristas de telejornais Carlos Chagas, José Nêumanne Pinto e Denise Campos de Toledo foram demitidos do SBT no final da semana passada. As saídas estão ligadas aos planos do canal de dar menos espaço para opinião nos telejornais.

Apesar disso, as demissões ocorrem na semana em que a âncora do “SBT Brasil”, Rachel Sheherazade, gerou polêmica ao defender o grupo que amarrou um jovem ao poste no Rio.

O canal demitiu na segunda -feira o chefe de redação de jornalismo, Ricardo Melo, colunista da Folha, que se desentendeu com o departamento de recursos humanos. O SBT não quis comentar as demissões.

Apresentadora se manifesta após comentário polêmico

A apresentadora do SBT Rachel Sheherazade se manifestou sobre a polêmica causada após se manifestar a favor de jovens que prenderam um suposto assaltante em um poste, no Rio de Janeiro. Sheherazade se declarou uma crítica da violência e afirmou que foi clara ao expor sua opinião.

“Eu defendi o direito da população em se defender quando o Estado é omisso. Não se pode confundir isso com a violência pela violência”, disse.

As declarações da apresentadora ganharam muita repercursão na última semana, tendo sido alvo de opiniões extremistas de defensores e acusadores de seu ponto de vista. O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro e a Comissão de Ética daquela entidade chegaram a divulgar uma nota de repúdio contra a “grave violação de direitos humanos e ao Código de Ética dos Jornalistas Brasileiros” representada pelas declarações de Rachel no Jornal do SBT.

Ao se explicar, a apresentadora quis esclarecer que defende pessoas de bem que, segundo ela, foram abandonadas à própria sorte pelo Estado. Ela declarou ainda que suas palavras foram muito claras que e nenhuma pessoa de bom senso defenderia os atos de violência que a acusaram de defender.

“Eu defendo a paz, o bem e a segurança”, concluiu.

***

Declaração que motivou o debate

LEIA MAIS

Carta Capital

Sindicato dos Jornalistas

%d blogueiros gostam disto: