Jornalista afastada da Globo News

Revista Imprensa

Mariana Godoy é afastada da GloboNews e emissora alega “problemas pessoais”

Lucas Carvalho

A jornalista Mariana Godoy foi afastada da GloboNews às vésperas das eleições por “problemas pessoais”. Ela não apresenta o “Jornal das Dez” desde o dia 2 de outubro e a emissora afirma que a profissional está de licença.

Porém, o site Notícias da TV informa nesta quinta-feira (9/10) que Mariana está em negociação para integrar a equipe do “Hoje em Dia”, da TV Record, a partir do próximo ano. A decisão de afastá-la da programação da Globo teria partido de Ali Kamel, diretor de Esportes e Jornalismo da emissora, após pedido da jornalista para ter o vencimento de seu contrato adiantado.

SBT demite três comentaristas de seus telejornais

Folha de S. Paulo

,Os jornalistas e comentaristas de telejornais Carlos Chagas, José Nêumanne Pinto e Denise Campos de Toledo foram demitidos do SBT no final da semana passada. As saídas estão ligadas aos planos do canal de dar menos espaço para opinião nos telejornais.

Apesar disso, as demissões ocorrem na semana em que a âncora do “SBT Brasil”, Rachel Sheherazade, gerou polêmica ao defender o grupo que amarrou um jovem ao poste no Rio.

O canal demitiu na segunda -feira o chefe de redação de jornalismo, Ricardo Melo, colunista da Folha, que se desentendeu com o departamento de recursos humanos. O SBT não quis comentar as demissões.

Visão institucional – Jornalistas em destaque

Jornalistas e Cia

Em sequência ao Ranking dos Mais Premiados Jornalistas Brasileiros de Todos os Tempos por região, Jornalistas&Cia apresenta o ranking regional dos profissionais que mais se destacaram em 2013.

Na região Norte, a primeira posição foi dividida entre Ismael Soares Machado, Adauto Nascimento, Thiago Araújo e Wilson Levy, do Diário do Pará, com 45 pontos.

No Nordeste, o mais premiado de 2013 foi Ana Claudia Dolores, do Diário de Pernambuco, com 75 pontos, seguida por Helia Scheppa (Jornal do Commercio/Portal Ne10/PE) e Wendell Rodrigues da Silva (Rádio Jovem Pan/TV Correio/Rádio Correio PB/Radio Fm98/PB), primeiro colocado no ranking regional Nordeste de 2012.

Os prêmios de Melhor Repórter de Mídia Impressa, concedido pelo Comunique-se, e de Melhor Repórter de Jornal, pelo Mulher Imprensa, em conjunto com o Grande Prêmio CNT de Jornalismo, renderam a Cátia Seabra, repórter especial da Folha de S.Paulo em Brasília, 97,5 pontos e a liderança entre os mais premiados jornalistas do Centro-Oeste em 2013.

No Sudeste, venceu o jovem Rodrigo Carvalho Gomes, da GloboNews (RJ), com 130 pontos, que entre os prêmios arrebatou Líbero Badaró, Embratel e AMB. Em seguida vêm Lucio de Castro (ESPN Brasil/SP), com 95 pontos, e Miriam Leitão (O Globo/TV Globo/Globo News/CBN/RJ), com 92,5 pontos.

O líder da Região Sul, Humberto Trezzi, foi também o mais vitorioso de todo o Brasil, acumulando 145 pontos, fruto sobretudo da matéria A verdade sobre Rubens Paiva e o atentado no Riocentro, que repercutiu nacional e internacionalmente.

***

Centro-Oeste

Quarta colocada entre mais premiados nacionais de 2013, Cátia Seabra lidera ranking do ano no Centro-Oeste

Os prêmios de Melhor Repórter de Mídia Impressa, concedido pelo Comunique-se, e de Melhor Repórter de Jornal, pelo Mulher Imprensa, em conjunto com o Grande Prêmio CNT de Jornalismo, renderam a Cátia Seabra, repórter especial da Folha de S.Paulo em Brasília, 97,5 pontos e a liderança entre os mais premiados jornalistas do Centro-Oeste em 2013 no Ranking J&Cia.

Na segunda posição, empatados com 65 pontos, ficaram os repórteres Adriano Faria, da Rádio Senado, e Jonas Campos, da TV Centro América, afiliada da TV Globo no Mato Grosso, ambos ganhadores do Embratel. Com a reportagem Os 50 anos da renúncia de Jânio Quadros, Adriano venceu o prêmio na categoria Rádio, enquanto Jonas faturou a categoria Televisão, com a matéria Madeira chipada.

Empatados na quarta posição estão o colunista político Ricardo Noblat e o correspondente de Zero Hora Guilherme Mazui, que fizeram 55 pontos.

Leandro Colon e Filipe Coutinho, da sucursal da Folha de S.Paulo, que lideraram o Ranking do Centro-Oeste em 2012, voltaram a figurar juntos no de 2013, porém na 15ª posição.

LEIA MAIS

Morte de jornalistas

Observatório da Imprensa

Crimes contra jornalistas crescem em todo o mundo. A Ásia é o continente onde mais morreram profissionais nos últimos cinco anos, foram 198 mortes. Já na Europa, continente considerado mais seguro, foram 40. Somente neste ano, 98 profissionais da imprensa foram mortos, sendo sete no Brasil, e outros 23 casos estão sob investigação. O nosso país está empatado no terceiro lugar com o México, onde mais morreram jornalistas. A Síria, que vive um conflito armado desde o ano passado, no qual a população exige a saída do poder do ditador Bashar al Assad, é a líder do ranking de 2012 até o momento, com 25 mortos, e em segundo lugar está a Somália com 12 casos, conforme dados do International News Safety Institute (INSI),

De acordo com análise feita pelo Comitê para Proteção dos Jornalistas (CPJ), a maioria desses profissionais não foi morta em campo de batalha, ou enquanto faziam pesquisas, mas sim a sangue frio, muitas vezes por represália ao seu trabalho, por informar sobre corrupção do governo, crime, tráfico de drogas, ou de atividades de grupos rebeldes. Nos últimos 20 anos, 940 jornalistas foram mortos em todo mundo, desses, 581 seguem com total impunidade. Sendo que 41% deles cobria política.

Sobre Fátima Bernardes

Não assisti o novo programa de Fátima Bernardes. Pelo horário, acho que nunca assistirei. Mas deixo aqui minha admiração pela pessoa de Fátima – que não conheço pessoalmente.

Há algum tempo o jornalismo virou show-bizz, especialmente em mídias de larga repercussão, como é o caso da TYV Globo. Mais ainda no seu jornal de maior peso, o Jornal Nacional.

A rigor não se pode apontar nenhum dos jornalistas como propensos a jogadas de estrelato, a não ser um ou outro colunista. Há um cuidado prudente em relação à imagem, em não misturar com o espaço mais largo dos artistas de novela.

Ao longo de suas carreiras, expostos a uma superexposição, alguns conseguem disfarçar o que não são, outros escondem o que verdadeiramente são, e outros conseguem, com discrição, passar no ar a personalidade que provavelmente devem ter em sua vida pessoal.

É o caso do casal Bonner-Bernardes.

De Fátima, o que ficará na memória da atual geração de telespectadores foi o gesto firme e decidido com que salvou o marido daquele que poderia ter sido um escorregão fatal.

Estavam todos os profissionais da Globo empenhadíssimos em atirar a bala de prata na candidata Dilma. Mirian tentou na famosa entrevista à CBN – insistindo mais do que a prudência recomendava em mostrar as “duas caras” de Dilma, apelando para uma questão técnica errada e que foi corrigida no ar pela entrevistada. Mesmo com todo seu prestígio, CBN não é Jornal Nacional.

Bonner tentou a bala de prata na entrevista dada ao Jornal Nacional, para milhões e milhões de telespectadores, um palco onde qualquer escorregão pode ser fatal.

Avançou, avançou, recorrendo ao repertório de TVs – perguntas superficiais em tom acusatório. Dilma enfrentou com um sorriso e respostas rápidas. Bonner aumentou o tom e ficou à beira do precipício, mostrando uma agressividade que contrastava com seu modo ponderado de conduzir o JN.

Foi quando Fátima fez uma breve sinal com a mão, discreto porém firme, interrompendo a momentânea perda de rumo do companheiro. Foi um gesto inesquecível de profissionalismo, mas também de companheirismo, de quem se sabe o ponto de equilíbrio do talentoso casal.

Uma grande jornalista e uma grande esposa.

%d blogueiros gostam disto: